Novo BMW M3

Uma receita clássica para fãs endinheirados. Assim é o novo BMW M3, lançado nesta segunda-feira (9) na Europa — e já confirmado para este semestre no Brasil. Ainda sem preço oficial, o sedã superesportivo da marca bávara chega à 6ª geração com a personalidade habitual e mantendo-se fiel à tradição criada há mais de 35 anos com o M1.

A BMW seguiu sua moda da casa e apresenta o novo M3 com o que tem de melhor: um poderoso motor a combustão, tração traseira e opção de câmbio manual. O 3.0 biturbo de seis cilindros em linha agora gera 480 cv de potência na versão básica, e 56,1 mkgf de torque entre 2.650 rpm e 6.130 rpm, sempre em conjunto com o câmbio manual de seis marchas.

Novo BMW M3
BMW/Divulgação

Já o M3 Competition extrai 510 cv e um avassalador torque de 63,3 mkgf entre 2.750 e 5.500 rotações. Neste caso, o câmbio é o automático Steptronic de oito velocidades, ajustado, claro, pela divisão M. Assim, o apimentado sedã alemão acelera de zero a 100 km/h em 3,9 segundos, e alcança os 200 km/h em 12,5 segundos. Ou em 4,2 s e 13,7 s, na versão manual.

Grade enorme marca o novo design

O BMW M3 sempre foi caracterizado por ter um design bem mais agressivo que as versões regulares do sedã Série 3. Entretanto, desta vez a versão de alta performance está ainda mais distinta. É porque a nova geração já nasce com a nova e enorme grade do duplo rim. O estilo surgiu entre os SUVs da montadora, e agora chega aos esportivos da divisão M.

Novo BMW M3
BMW/Divulgação

Alguns clientes e fãs talvez torçam o nariz para a enorme grade frontal. Contudo, os engenheiros da BMW não a colocaram no novo M3 por acaso. O duplo rim vertical torna o sedã ainda mais resistente às altas temperaturas quando utilizado em circuitos. A enorme tomada de ar garante, assim, um fluxo de ar suficiente aos radiadores de alta e baixa pressão.

Novo BMW M3
BMW/Divulgação

Novo chassi e suspensão adaptativa

Por mais purista que seja, o novo BMW M3 também tem seus truques. Um deles é a suspensão adaptativa M, com amortecedores que se ajustam eletronicamente para amaciar ou deixar o sedã mais firme. Além disso, o modelo conta com um novo chassi mais leve e rígido que o anterior, feito com uso extenso de alumínio, e com muitas peças de fibra de carbono.

No interior, o novo M3 usa todas as modernidades possíveis, como quadro de instrumentos em um display colorido de 12,3 polegadas, além da grande tela multimídia de 10,25 polegadas no topo central. Há ainda vários botões no console para os muitos recursos disponíveis no esportivo. O acabamento parece impecável nas fotos, com bancos esportivos do tipo concha.

Novo BMW M3
BMW/Divulgação

Topa um drift controlado?

Um esportivo de tração traseira que se preze permite fazer bons drifts. Mas o novo BMW M3 vai um pouco além, e oferece um controle de tração que ajuda o motorista deslizar as rodas traseiras de forma controlada. O programa de condução permite fazer múltiplos ajustes, alterando desde a suspensão, às respostas do acelerador e dos freios, bem como a direção.

O M3 Competition, versão que virá de início para o Brasil, tem ainda um pacote opcional chamado M Race Track. Com ele são incorporados recursos de análise de dados que ajudam o condutor a evoluir como piloto. E um desses monitores é o M Drift Analyzer, que registra distância, duração, linha e ângulo do carro na manobra, conferindo uma “pontuação”.



Novos BMW M3 e M4 coupé
BMW/Divulgação

Novos BMW M4 cupê e conversível são lançados

A BMW também apresentou os novos M4 coupé e M4 Cabrio no exterior. Os esportivos ostentam a grade gigante da marca alemã. E trazem os mesmos conjuntos mecânicos do M3, bem como o novo motor 3.0 biturbo de 510 cv e a suspensão adaptativa. A dupla deve desembarcar no Brasil no 2º semestre na versão Competition, tal como ocorrerá com o M3.

Inscreva-se no canal do Jornal do Carro no YouTube

Veja vídeos de testes de carros e motos, lançamentos, panoramas, análises, entrevistas e o que acontece no mundo automotivo em outros países!

Inscrever-se

O post BMW lança novo M3 e confirma esportivo no Brasil no primeiro semestre apareceu primeiro em Jornal do Carro – Estadão.