Lançado em 2017, o WR-V 2021 EXL só recebeu agora em sua reestilização os controles de tração e estabilidade. Conjunto mecânico permanece inalterado

O Honda Fit é um ótimo monovolume, assim como o HR-V é um excelente SUV. Mas no WR-V 2021 EXL não é nenhum e nem outro. Ele é uma artimanha que tenta transformar o compacto num jipinho, mas que na verdade não passa de um aventureiro.

E voltamos a andar no WR-V, depois de um intervalo de quase três anos. Testamos a linha 2021, em sua versão mais sofisticada EXL, que custa R$ 94 mil. E não há diferença nenhuma entre o carro de 2017 e esse, além do DRL em LED e um pequeno retoque nos para-choques. A segurança finalmente foi reforçada com a adoção dos importantes controles de tração e estabilidade.  

Visual

O WR-V EXL 2021 é um carro não agrada aos olhos, cheio de plásticos. Ele conseguiu perder toda a simpatia do Fit para tentar se aproximar do HR-V (que é muito bonito), mas tem estilo grosseiro, com a porção frontal que foi encaixada como nos antigos sedãs derivados de hatches, sem menor harmonia com o restante da carroceria.

O tapinha na grade e para-choques suavizaram um pouco o estilo contraditório. Mas o benefício mesmo foi que finalmente ele tem um para-choque traseiro e não uma peça plástica rente à tampa do porta-malas que não tinha nenhuma função em caso de leves toques.

Por dentro

O WR-V EXL 2021, é um Fit, mas um Fit de geração atrasada. Lá fora o carro já mudou completamente, mas aqui segue com o mesmo projeto de 2014. Seu interior não é ruim, ele se apropria da boa arquitetura do monovolume, em que o espaço interno é o destaque, assim como modularidade dos bancos.

Para quem tem família, ele resolve tão bem quanto o Fit. No entanto, compacto é mais barato, partindo de R$ 64 mil, contra R$ 83 mil do aventureiro. Ou seja, se sua ideia é aproveitar o bom espaço do Fit, compre o monovolume.

Seu acabamento segue a linha do irmão que lhe serve de base. A montagem é boa, mas são plásticos para todo o lado. Ele não oferece o mesmo requinte que HR-V.

Conteúdos

Quando se entra no WR-V EXL 2021 a primeira coisa que se vê é o grande e redondo velocímetro no painel. Analógico o mostrador é o mesmo de Fit e HR-V, bem aquém do cluster digital do rival VW Nivus.

WR-V LX : VEJA EM DETALHES A VERSÃO “MAIS BARATA” DO AVENTUREIRO

Ainda sim, ele oferece ar-condicionado digital, multimídia (com Apple CarPlay, Android Auto, câmera de ré e duas portas USB), bancos revestidos em couro, vidros elétricos nas quatro portas, monitor de pressão dos pneus, controle de estabilidade, sensores dianteiros e traseiros.

O problema é que pelos R$ 94.700 pedidos pelo WR-V EXL 2021, ele não oferece nenhum tipo de assistência à condução, e nem mesmo trivialidades como acendimento automático dos faróis ou sensor de chuva. Por outro lado oferece seis airbags, o que é algo que não podemos ignorar.

Motor

A unidade 1.5 de 116 cv e 15,3 mkgf é um motor que está no mercado há bastante tempo, desde a primeira geração do Fit. Ele tem comportamento satisfatório tanto na cidade, quanto na estrada. Mas não espere performance.

Esse motor é combinado com uma transmissão do tipo CVT, que tem bom funcionamento e garante boa eficiência. No uso cotidiano é bastante satisfatório.

Consumo

A média de consumo com etanol no combinado entre urbano e rodoviário foi de 10,2 km/l

Suspensão

O WR-V teve suspensão elevada e reforçada para poder bancar sua proposta aventureira. Isso deixou o carro mais pesado e menos estável. Nas curvas, a carroceria tende a oscilar mais. Por outro lado ele vence a buraqueira com mais tranquilidade que no Fit.

Ou seja, se tiver que escolher entre o Honda WR-V e o Fit, vá no modelo original, que é mais barato, mais bonito e tem excelente reputação no mercado. Mas, se o amigo faz questão de um aventureiro, compre um Nivus.

O post Avaliação: Honda WR-V 2021 EXL: o pior de dois mundos apareceu primeiro em Autos Segredos.