volvo xc60 ford edge

O novo Ford Edge chegou com tudo ao mercado brasileiro. Em vez da antiga versão Titanium, o SUV importado do Canadá passou a vir na versão mais brava, ST (sigla da divisão esportiva da marca). O motor 3.5 V6 deu lugar ao 2.7 V6 Ecoboost. Com isso a potência subiu 18%, para 335 cv, e o torque passou a 54,4 mkgf (aumento de 57,2%). Tabelado a R$ 299 mil, o utilitário-esportivo está posicionado na mesma faixa de preço do Volvo XC60 T8. O SUV da marca sueca é híbrido, produzido na China, custa R$ 299.950 e tem dois motores: um 2.0 turbo a gasolina e outro elétrico que, juntos, geram 407 cv.

INSCREVA-SE NO CANAL DO JORNAL DO CARRO NO YOUTUBE

 

Os dois modelos têm tração 4×4 e visual que reforça a esportividade. Se o Edge é representante da linhagem ST, o XC60 híbrido traz o acabamento R-Design, que designa o pacote esportivo da fabricante sueca.

Os dois trazem defletores de ar na traseira, poucas peças cromadas, rodas de liga leve de 21 polegadas e pneus de perfil baixo. Na hora de acelerar, o Edge dá uma leve titubeada antes de responder com vigor.

Já o XC60 T8 mostra vigor logo que o motorista pisa forte no acelerador. O Volvo vai de 0 a 100 km/h em 5,3 segundos, ante 6,2 segundos do rival. O Ford chega a 209 km/h e o Volvo, a 230 km/h, de acordo com dados das marcas.

O XC60 T8 é mais estável que o Edge, graças à suspensão firme e ao centro de gravidade mais baixo. Além disso, o Volvo é mais fácil de manobrar. Neste comparativo, o XC 60 venceu com folga.

XC60 é melhor que Edge em consumo e acabamento

O Volvo é melhor que o Ford em dirigibilidade, desempenho e conforto. Os dois SUVs são espaçosos, mas o XC60 é mais sofisticado. Entre os destaques, a alavanca de câmbio é feita de cristal e o painel tem visual minimalista.


O acabamento do Edge mescla superfícies brilhantes com uma parte fosca, na área dos comandos do ar-condicionado que, a propósito, é “poluída” por causa do excesso de botões.

Ambos vêm com sistema de condução semiautônoma. Isso inclui controlador de velocidade adaptativo (acompanha o ritmo do tráfego), frenagem de emergência e correção automática de saída de faixa. O Edge permite que o motorista solte totalmente o volante por três segundos, ante cerca de dez segundos no Volvo.

Curiosamente, o XC60 tem som da marca norte-americana Harman Kardon com 13 alto-falantes. E o Ford vem com a dinamarquesa Bang & Olufsen e 12 alto-falantes. No Edge há ainda telas de 8” na parte de trás dos bancos dianteiros.



Os dois têm quadro de instrumentos configurável. No Ford, o velocímetro é convencional, ladeado por duas telas de 4,2”. No Volvo, a tela tem 12,3”. A tela da central multimídia do Edge tem 8” e a do XC60, 9”.

Para liquidar a fatura, o Volvo híbrido é muito econômico: faz 19 km na cidade e 20 km na estrada com um litro de gasolina. Isso porque, dependendo da situação, o SUV roda só no modo elétrico, sem queimar combustível nem fazer barulho. O Edge tem média de, respectivamente, 7,3 e 9,4 km/l.

Opinião: O triunfo da tecnologia híbrida

Quando a Ford apresentou o novo Edge 2019 à imprensa brasileira, listou entre os rivais SUVs como BMW X3, Jaguar F-Pace, Audi Q5 e Mercedes GLC. Em comum, todos são mais caros e menos potentes. Mostrar os pontos fortes de seu produto faz parte do jogo. Mas isso é parte da história. A outra é que o XC60 também entra nessa foto.

Na versão híbrida, o Volvo custa o mesmo que o Ford (para ser exato, é R$ 950 mais caro), mas tem dois motores que, combinados, geram 72 cv a mais que o concorrente. Com isso, o SUV feito na China pela marca sueca consegue não apenas ser bem mais rápido, mas também muito mais econômico. Não é à toa que o XC60 é o líder de vendas do segmento e o carro mais emplacado da Volvo no País. Mesmo não sendo o mais barato da Volvo.

Prós e contras

Volvo XC60

Prós: DIRIGIBILIDADE
Modelo é rápido e, graças ao bom ajuste da suspensão, estável e confortável.

Contras: MANUTENÇÃO
Marca cobra muito pelas revisões. A de 20 mil km, por exemplo, custa R$ 1.949.

Ford Edge

Prós: ESTILO
Com visual esportivo, SUV é o primeiro Ford vendido no Brasil na versão ST.

Contras: SUSPENSÃO E DIREÇÃO
Carroceria balança além do razoável em curvas e a direção esterça pouco.

Agradecimento: Centro de Tradições Nordestinas

O post Volvo XC60 T8 leva a melhor sobre Ford Edge ST apareceu primeiro em Jornal do Carro – Estadão.