Suzuki

A Suzuki terá novidades na linha 2022. De acordo com a J.Toledo, que representa a marca no Brasil, os modelos V-Strom 1050, Hayabusa e GSX-S 1000 estão prestes a desembarcar no País. Ainda sem data cravada, os lançamentos chegam já a partir do próximo semestre.

A bigtrail V-Strom 1050 deve desembarcar por aqui entre julho e agosto. Na sequência, ao longo de 2022, vêm os demais lançamentos globais: a esportiva Hayabusa e a naked GSX-S 1000. Preços, entretanto, ainda são desconhecidos.

Lançada no primeiro semestre do ano passado, a V-Strom 1050 foi apresentada no Salão de Milão de 2019 e, mesmo mantendo características do modelo antecessor, traz várias novidades, sobretudo na eletrônica. O pacote de auxílio ao piloto Suzuki Intelligent Ride System é um dos detaques da novata. Tem, entretanto, sensores que controlam a atuação dos freios ABS em curvas, três modos de pilotagem, entre outras soluções.

Suzuki
Suzuki/Divulgação

No pacote estão, ainda: controle de cruzeiro, iluminação full LEDs, tomada USB, painel de instrumentos digital com tela LCD e embreagem assistida e deslizante – Suzuki Assist Clutch System.

Estética

Com linhas mais retas, todavia, o visual retrô da V-Strom 1050 tem farol quadrado, que lembra a DR Big dos anos 1980. Cores chamativas dão o toque final. Quanto à motorização, não há novidades. O bicilíndrico em V com 1.037 cm³ de capacidade e arrefecimento a líquido apenas passou por revisões pontuais nos componentes internos e na injeção eletrônica. A ideia é adaptá-lo às normas Euro 5 para emitir menos poluentes.

Em números, a potência subiu de 101 cv para 107 cv (a 8.500 rpm). O torque, a princípio, é de 10,2 mkgf (antes, 10,5 mkgf) a 6.000 giros. O câmbio de seis marchas permanece intacto.

Suzuki Hayabusa

Design e eletrônica, contudo, são as principais novidades da terceira geração da icônica Hayabusa. Nova carenagem, grafismos diferenciados, iluminação full LEDs e novo painel digital são destaques. Esse último, mescla tela TFT com os tradicionais mostradores analógicos.



Ao contrário da V-Storm, o motor foi mexido para desenvolver menos potência. Agora, o quatro cilindros em linha de 1.340 cm³ de capacidade gera 190 cv e 15,3 mkgf. Dados do modelo atual: 197 cv e 15,8 mgkf. A marca afirma que a redução serve apenas para diminuir os índices de poluentes, afinal, está mais rápida. O 0 a 100 km/h em 3,2 segundos explica – antes, levava 3,4 s. A velocidade máxima, no entanto, fica limitada em 299 km/h. A Hayabusa também está 1,9 kg mais magra e pesa 265,8 kg.

Suzuki
Suzuki/Divulgação

GSX-S 1000

Apresentada recentemente, a nova geração da GSX-S 1000 ganhou visual inspirado em aviões de caça. Como equipamentos, recebeu SIRS, que inclui acelerador eletrônico, três modos de pilotagem, controle de tração com seis estágios, assistente de baixa rotação, iluminação em LEDs, novo painel LCD, entre outras mudanças. Já o motor de 999 cm³ e 152 cv a 11.000 rpm mantém a base da antecessora. O tetracilíndrico tem torque de 11 mkgf a 9.500 giros.

Inscreva-se no canal do Jornal do Carro no YouTube

Veja vídeos de testes de carros e motos, lançamentos, panoramas, análises, entrevistas e o que acontece no mundo automotivo em outros países!

Inscrever-se

https://youtube.com/watch?v=videoseries&list=PLpc73O_gY_HN_wVj3Wv8DwPzPotPhzPhI

O post Suzuki confirma V-Strom 1050, Hayabusa e GSX-S 1000 no Brasil apareceu primeiro em Jornal do Carro – Estadão.